Fonte: http://www.jack-the-ripper-tour.com/generalnews/where-are-the-police-2

Cegueira na Segurança Pública de São Leopoldo

Promover Segurança Pública é uma tarefa complexa e que exige uma correta aplicação de um conjunto de elementos capazes de produzir ações nessa temática. Esses elementos são bastante diversificados, mas passam, necessariamente, por efetivo humano, viaturas, armamento, equipamentos diversos e acesso a informações.

Muitos desses elementos são caros e de difícil provimento pela Administração Municipal. Porém, no quesito acesso a informações, as dificuldades são relativamente reduzidas. A PROCERGS – Companhia de Processamento de Dados do Estado do Rio Grande do Sul – administra um banco de dados fundamental para as ações de Segurança Pública: o banco de dados de cadastros de veículos do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (DETRAN-RS). Através desse banco de dados, as instituições de Segurança Pública têm acesso a diversas informações dos veículos que trafegam nas nossa ruas: desde cadastro de cor, passando por regularidade do licenciamento, até informações sobre se o veículo está em situação de furto ou roubo!

Fonte: www.procergs.rs.gov.br
Fonte: www.procergs.rs.gov.br

A PROCERGS disponibiliza esse banco de dados às forças de segurança municipais. Em São Leopoldo, atualmente, vige o Contrato 38/2016, assinado em 04/02/2016, justamente com esse objetivo. Porém, a Guarda Municipal de São Leopoldo está prejudicada em realizar consultas aos veículos que transitam na nossa cidade porque a Prefeitura não quitou nenhum centavo dos R$ 3.630 (três mil, seiscentos e trinta reais) previstos na Nota de Empenho 1-2016/2764, da Ordem nº 2016/757. Ou seja, por uma inadimplência de um valor irrisório, a Guarda Civil Municipal de São Leopoldo não consegue verificar se um veículo é roubado!!

O furo em relação à PROCERGS é ainda maior, embora trate de valores, como já disse, irrisórios. Consultando a página da transparência da Prefeitura de São Leopoldo, percebe-se que a Administração Municipal possui dívidas com essa Companhia Estadual desde 01/04/2009, cujo valor total é de R$ 50.846,96 (cinquenta mil, oitocentos e quarenta e seis reais e noventa e seis centavos. Essa dívida está ligada a diversos serviços, dentre os quais os destaco o acesso ao banco de dados a que já me referi e a disponibilização de contas governamentais de e-mail.

Ora, por mais que a Prefeitura esteja enfrentando problemas de caixa, não é razoável aceitar que se esteja economizando um valor tão irrelevante aos seus cofres e que causa um prejuízo tão grande à segurança da cidade. Só em 2015, a população de São Leopoldo foi vítima de 803 furtos e roubos de veículos, o que significa uma média de mais de 15 veículos por semana!! E, no entanto, a força de segurança municipal está trabalhando completamente às cegas, sem o menor nível de informação acerca desses crimes… e tudo por cerca de R$ 50.000,00… distribuídos em 6 anos… o que significa uma média de R$ 700 por mês…

Mais uma vez, os números demonstram que Segurança Pública não é prioridade para atual Administração Municipal! Principalmente quando se vê que, só nos 3 primeiros meses de 2016, a Prefeitura pagou mais de R$ 75.000,00 (setenta e cinco mil reais) à Construsinos, aquela empresa que foi uma das principais financiadoras da campanha do atual prefeito…, como já demonstrei anteriormente.

Se queremos uma cidade segura, precisamos construí-la com ações de fato!

Sobre Artur Niemeyer

Eu nasci em São Leopoldo, onde resido hoje. Tenho, agora, 35 anos. Com QI de 138, formei-me técnico em Mecânica de Precisão pelo SENAI/CETEMP, licenciado em História pela Unisinos, onde agora estou cursando a graduação em Direito, e pós-graduado como Especialista em Gestão Pública pela UFRGS. Publiquei 2 capítulos de livros sobre Gestão por Processos em Segurança Pública, assunto que também apresentei em seminário internacional da área. Comecei a realizar pequenos trabalhos aos 15 anos. Aos 18 anos, passei a atuar na indústria metal-mecânica. Aos 20, passei pela minha primeira experiência de administração, ao gerir uma pequena empresa de assessoria contábil. Com quase 21 anos, ingressei na Polícia Rodoviária Federal, como policial. Trabalhei nas atividades de policiamento de rua, atendimento aos cidadãos, policiamento especializado, supervisão operacional da Região Metropolitana de Porto Alegre, licitações, fiscalização de contratos, corregedoria, projetos, acompanhamento de auditorias, planejamento e controle de operações e na segurança dos Grandes Eventos realizados no Brasil até 2014. Fui membro juvenil do Movimento Escoteiro por 10 anos e, atualmente, atuo como voluntário junto ao Grupo Escoteiro Cruzeiro do Sul. Em meados de 2015, iniciei um movimento comunitário local chamado "Projeto São Leopoldo Melhor", que atua apoiando causas e demandas da sociedade leopoldense, em prol de seu aprimoramento. Em 7 de setembro de 2015, ingressei na política, filiando-me ao PDT, por acreditar na democracia, na legalidade e na emancipação do povo pela educação e pelo trabalho. Em 15 de novembro, lancei minha pré-candidatura a vereador, defendendo uma política limpa, transparente, honrada e de conteúdo, pautada por projetos claros e viáveis. Atingi a suplência com 911 votos, apesar do pouco investimento financeiro, provando ser possível fazer política sem uso ou respaldo do poder econômico. Veja mais em: .

Verifique também

O Fim da Cultura do Estupro

No final de maio, a notícia de um estupro coletivo, protagonizado por cerca de 30 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *