Fonte: acervo do autor

Segurança Não é Prioridade em São Leopoldo

Nesta semana, São Leopoldo assistiu a mais um latrocínio. Mais uma vida inocente foi ceifada pelo agir desenfreado dos criminosos. E em 2015, nossa cidade registrou mais de 100 homicídios!

É claro que a violência tem causas sociais profundas e complexas, que passam pela falta de oportunidades, de acesso à renda e aos serviços públicos e pela drogadição. Para que nossas sociedades se tornem seguras, essas raízes da violência precisam ser enfrentadas. Porém, paralelamente a isso, e antes mesmo desse enfrentamento das causas, é preciso realizar o que se chama, na literatura do tema, de prevenção e controle da criminalidade.

A prevenção diz respeito à capacidade do Estado de criar condições que dificultem o cometimento de crimes. Já o controle diz respeito à resposta dada aos crimes que não se conseguiu prevenir. Ambas práticas passam, necessariamente, pela presença proativa de policiamento nas ruas e pelo emprego de tecnologias que potencializem o agir desses policiais, de forma que tanto a prevenção quanto o controle da criminalidade passam, indubitavelmente, pela atuação do órgão público responsável pela segurança pública no município, o que em São Leopoldo, significa a Secretaria Municipal de Segurança e Defesa Comunitária.

Fonte: acervo do autor
Fonte: acervo do autor

Uma das melhores formas de mensurar o quanto um assunto é importante para um governo é verificar o volume de recursos financeiros que esse governo disponibiliza para esse assunto. Verifiquei os dados orçamentários de São Leopoldo referentes a 2015 e constatei que o município arrecadou R$ 633.569.124,92, mas empenhou apenas R$ 15.353.471,90 na Secretaria citada. Ou seja, o atual governo leopoldense destinou apenas 2,4% de sua arrecadação para a segurança pública!!

“…presença proativa de policiamento nas ruas e pelo emprego de tecnologias que potencializem o agir desses policiais.”

Se, concomitantemente, partirmos do pressuposto que a Segurança Pública é algo caro, pois demanda grande e valorizado efetivo humano, equipamentos, veículos e tecnologia, concluímos, sem nenhum medo de errar, que o tema da Segurança Pública não é prioritário para o atual governo, com as consequências que estamos vendo para a nossa população!

“…o atual governo leopoldense destinou apenas 2,4% de sua arrecadação para a segurança pública!!”

Sobre Artur Niemeyer

Eu nasci em São Leopoldo, onde resido hoje. Tenho, agora, 35 anos. Com QI de 138, formei-me técnico em Mecânica de Precisão pelo SENAI/CETEMP, licenciado em História pela Unisinos, onde agora estou cursando a graduação em Direito, e pós-graduado como Especialista em Gestão Pública pela UFRGS. Publiquei 2 capítulos de livros sobre Gestão por Processos em Segurança Pública, assunto que também apresentei em seminário internacional da área. Comecei a realizar pequenos trabalhos aos 15 anos. Aos 18 anos, passei a atuar na indústria metal-mecânica. Aos 20, passei pela minha primeira experiência de administração, ao gerir uma pequena empresa de assessoria contábil. Com quase 21 anos, ingressei na Polícia Rodoviária Federal, como policial. Trabalhei nas atividades de policiamento de rua, atendimento aos cidadãos, policiamento especializado, supervisão operacional da Região Metropolitana de Porto Alegre, licitações, fiscalização de contratos, corregedoria, projetos, acompanhamento de auditorias, planejamento e controle de operações e na segurança dos Grandes Eventos realizados no Brasil até 2014. Fui membro juvenil do Movimento Escoteiro por 10 anos e, atualmente, atuo como voluntário junto ao Grupo Escoteiro Cruzeiro do Sul. Em meados de 2015, iniciei um movimento comunitário local chamado "Projeto São Leopoldo Melhor", que atua apoiando causas e demandas da sociedade leopoldense, em prol de seu aprimoramento. Em 7 de setembro de 2015, ingressei na política, filiando-me ao PDT, por acreditar na democracia, na legalidade e na emancipação do povo pela educação e pelo trabalho. Em 15 de novembro, lancei minha pré-candidatura a vereador, defendendo uma política limpa, transparente, honrada e de conteúdo, pautada por projetos claros e viáveis. Atingi a suplência com 911 votos, apesar do pouco investimento financeiro, provando ser possível fazer política sem uso ou respaldo do poder econômico. Veja mais em: .

Verifique também

O Fim da Cultura do Estupro

No final de maio, a notícia de um estupro coletivo, protagonizado por cerca de 30 …

2 comentários

  1. oi gente
    gostei muito desse site, parabéns pelo trabalho. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *